Entenda a importância da Ergonomia no ambiente de trabalho

 

A Ergonomia é a ciência que estuda a relação entre o homem e o trabalho que ele executa, procurando desenvolver uma integração perfeita entre as condições de trabalho, as capacidades e limitações físicas e psicológicas do trabalhador e a eficiência do sistema produtivo.

 

Os principais objetivos da ergonomia são:

  • Aumentar a eficiência organizacional (e.g., produtividade e lucros);
  • Aumentar a segurança, a saúde e o conforto do trabalhador.

 

Ao se tratar dos objetos de estudo alvos de análises pela ergonomia, com o objetivo de diminuir os perigos e prevenir erros e acidentes, há os seguintes quesitos: posturas adotadas pelos trabalhadores, movimentos corporais efetuados, fatores físicos ambientais que enquadram o trabalho e os equipamentos utilizados.

 

Tipos de intervenção da ergonomia

Com o intuito de garantir melhores condições de trabalho, a ergonomia traz algumas intervenções que podem ser feitas. Entre elas, estão: a concessão de postos e métodos de trabalho, ferramentas, máquinas e mobiliário; Correção de problemas identificados através de metodologias próprias; E a sensibilização, informação e formação sobre os métodos e técnicas mais adequados para realizar as suas tarefas.

 

EPI (equipamento de proteção individual)

Há EPI adequado e indicado aos trabalhadores que possibilita um maior conforto, minimizando os riscos de lesões, como a da coluna lombar. Alguns cuidados estão diretamente ligados à ergonomia e são indicados ao setor administrativo. O intuito é prevenir a famosa L.E.R. (lesão por esforço repetitivo), principalmente devido à postura no trabalho.

 

A segurança e saúde nas obras

Você sabe quantos quilos um empregado pode carregar individualmente e se há uma delimitação? Visando zelar pela saúde e segurança dos trabalhadores, a CLT (Consolidação das Leis do Trabalho), Normas Regulamentadoras e métodos internacionais, dispõem limites em relação ao peso carregado manualmente por um empregado.

De conformidade com o art. 198 da CLT (decreto lei 5452/43), o peso máximo que um empregado pode remover é de 60 kg, dispondo de especificações em relação ao trabalho do menor e da mulher. Ainda em seu art. 390, é vedado demandar da mulher a força muscular superior a 20 kg para o trabalho contínuo e 25 kg para ocasional.

O Ministério do Trabalho, considerando a importância deste assunto à saúde do trabalhador, trouxe ainda, através de suas Normas Regulamentadoras, outras regras. Confira abaixo:

  • De forma genérica, a NR 17, voltada a ergonomia do trabalho, determina sobre o transporte manual de cargas que nenhum trabalhador exerça força cujo o peso seja suscetível de comprometer sua saúde e segurança.
  • Outra NR de suma importância à matéria é a NR 11, que define transporte manual de sacos. Toda atividade realizada de maneira contínua ou descontínua, essencial ao transporte manual de sacos, na qual o peso da carga é suportado, integralmente, por um só trabalhador, compreendendo também sua capacidade física.

Ela estabelece ainda a distância máxima de 60 metros para esse tipo de transporte e o método pelo qual deverá ser realizado: mediante impulsão de vagonetes ou carros de mão apropriados, devendo ser evitado o transporte em pisos escorregadios ou molhados.

 

Outros métodos adicionais

Atualmente, muitos empreendimentos têm adotado dois métodos que determinam quantos quilos um empregado pode carregar no máximo. O primeiro exemplo é a ACGIH Association Advancing Occupational and Environmental Health – constituída por profissionais da área da saúde e segurança do trabalho nos EUA. Eles realizaram pesquisas que determinam a tolerância em relação ao peso de 32 kg.

Tal limite foi fundamentado em três princípios: frequência do levantamento, altura entre a carga e o piso e a distância entre o indivíduo e a carga. Por conseguinte, lembramos que essa associação não é um órgão regulamentador, portanto, publica estudos baseados em dados.

Já o segundo método é uma ferramenta desenvolvida pela NIOSH que define o limite recomendado (23 kg), através de uma equação matemática que leva em consideração os seguintes aspectos:

  • Cc: Constante carga de 23kg;
  • FDH: Fator distância horizontal;
  • FAV: Fator altura vertical;
  •  FDVP: Fator distância vertical percorrida;
  • FA: Fator de assimetria;
  • FFL: Fator de frequência de levantamento;
  • FQP: Fator de qualidade da pega.

Desta forma, atendendo as exigências legais as fábricas de cimento se comprometeram a reduzir o peso das sacas de cimento para 25kg. O prazo para adaptação das fábricas para fazerem esta alteração é 31/12/2028.

 

Mantenha atenção às especificidades

A empresa não deve basear-se somente ao valor limite máximo indicado pela CLT (60 quilos). É preciso avaliar as atividades em suas especificidades, além de não admitir o transporte manual de cargas por um empregador, cujo peso possa comprometer sua saúde e segurança.

Para isso, a empresa pode adotar e introduzir dispositivos mecânicos. Estes agilizam tarefas a fim de organizar o fluxo de trabalho, otimizar o tempo e garantir mais segurança no ambiente de trabalho.

 

Autor:

Fabrício Constante De Oliveira 

Técnico em segurança do trabalho

The following two tabs change content below.

admin

Latest posts by admin (see all)